TV cidade da luz Assista hoje ao vivo a partir das 07:30
TV Cidade da Luz - Transmissão ao vivo - Palestra de José Medrado - 17.10.2017

Artigos

08h00

Valores de bastidores

Se nada deu diferente do planejado, hoje a Câmara Federal estará se posicionando se autoriza o STF a iniciar processo de investigação do presidente da República, pelo menos é o que está previsto em momento que escrevo este artigo. Não entendo, no entanto, o resultado de pesquisa divulgada no início desta semana. A perplexidade nasce do que evidenciou uma aferição realizada pelo Datafolha – Folha de S.Paulo, onde para 53% dos entrevistados é melhor para o país que Temer saia, porém para outros 43% dos entrevistados é melhor que o presidente chegue até o final do seu mandato. Essa pesquisa foi realizada entre 25 e 27 de julho.

O que gerou em mim a surpresa foram as justificativas para a sua permanência, isto porque o instituto introduziu o tema, explicando a questão antes da definição da opinião e, segundo a pesquisa, “algumas pessoas dizem que a saída de Michel Temer da presidência neste momento iria agravar a crise política do país e prejudicar a recuperação da economia brasileira”, enquanto outras “discordam e dizem que a saída de Michel Temer neste momento iria ajudar a resolver a crise política e não prejudicaria a recuperação da economia”. O percentual de quem justificava a permanência, entendo elevado. É bem verdade que outra pesquisa, a do Ibope, deu índice de 81% a favor do prosseguimento da investigação.

A permissão não é definição de culpa, de condenação, mas de investigação pura e simples, para se permitir se esclarecer tudo, visto que é o presidente da República e não se deve, entendo, pairar dúvidas sobre sua conduta. Cria-se no país uma largueza muito grande de avaliação de honestidade, a depender de quem seja e do interesse. Penso que a questão não envolve o mais ou menos honesto, mas em honestidade, simplesmente. Estamos criando desvios morais irreparáveis, onde a flexibilização de valores e conceitos sobre condutas e comportamentos estão sendo moldados conforme o autor do desmando, ou o seu poder público de mando.

Não podemos transigir com a dignidade das nossas instituições, tampouco com a grandeza da nossa cidadania. Devemos expurgar o princípio do jeitinho, em arrumar situações, por um tal bem maior, em justificativas compensatórias dos desmandos e comportamentos desalinhados do dever de respeito às futuras gerações a que nos cabe zelar. Precisamos ser transparentes e cristalinos nos bastidores e noites de nossas vidas, pois esse comportamento é que nos definirá como pessoas dignas e honradas. E no geral, como povo civilizado, devemos guardar o sentido de coletividade e nação. Assim, é determinante que nos comprometamos, em lutar pelos valores públicos, como esteio de uma real democracia, cuja existência não se submete a negociatas.

 

José Medrado

Mestre em Família pela Ucsal
e fundador da Cidade da Luz

Coluna Opinião/Jornal A Tarde

Pre | Desktop e Tablet
Centro de Cultura e Arte Pai João
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Caravana Fraterna
Oficina de costura Romana Medrado
Colabore
Grupo de Assistência
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Next | Desktop e Tablet
Pre | Smartphone
Centro de Cultura e Arte Pai João
Grupo de Assistência
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Oficina de costura Romana Medrado
Colabore
Caravana Fraterna
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Next | Smartphone
Rua Barreto Pedroso, 295 • Ptuaçu • Salvador • BA • CEP: 41.741-030 • Brasil
Telefone: +55 71 3363.5538
E-mail: cidadedaluz@cidadedaluz.com.br
2016 - 2017. Cidade da Luz. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo | Agência Digital