Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para obter mais informações, consulte o nosso política de privacidade e nossa política de cookies. E para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Opções. Ao clicar em Aceito, você consente com a utilização de cookies.

Aceito Opções

Definições

Queremos ser transparentes sobre os dados que nós e os nossos parceiros coletamos e como os utilizamos, para que você possa controlar melhor os seus dados pessoais. Para obter mais informações, consulte a nossa política de privacidade e nossa politíca de cookies.

O que são cookies?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site.

Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem a funcionalidade central, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Estes cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Gerenciar preferências de consentimento

Utilizamos softwares analíticos de terceiros para coletar informações estatísticas sobre os visitantes do nosso site. Esses plugins podem compartilhar o conteúdo que você fornece para terceiros. Recomendamos que você leia as políticas de privacidade deles.

Bloquear / Ativar
Google Analytics
Necessário

São aqueles que permitem a você navegar pelo site e usar recursos essenciais, como áreas seguras, por exemplo. Esses cookies não guardam quaisquer informações sobre você que possam ser usadas em ações de comunicação de produto ou serviço ou para lembrar as páginas navegadas no site.

Bloquear / Ativar
Site
Necessário

Artigos

09h00

Violência e liberdade

Gostaria neste primeiro artigo de 2015 escrever sobre a beleza de um recomeço, mas como não dar atenção a Cauã, um menino de quatro anos que foi baleado pelo namorado da mãe e morreu. Comentei com uma amiga o horror da notícia, e ela simplesmente pontuou: mas foi acidente, o cara queria matar a mãe. Não entendi, foi por acidente, era a mãe que teria que morrer.

Realmente a violência está destruindo, pela frequência de sua sanha, a reação de indignação diante do que é completamente anticivilidade. Pus-me a pensar que estamos de fato nos acostumando à violência, todos nós, fazendo um ranking do que é aceitável ou não. Ora, violência alguma é aceitável, pois ela, sob qualquer manifestação, será sempre uma derrota da convivência sadia em uma sociedade. A violência tem destruído a nossa liberdade. Você que me lê, caro leitor, não é mais livre. Pense nas suas restrições de vida causadas pela violência.

A violência está se estratificando de todas as formas no nosso país, não se trata mais apenas de eventos trágicos, mortes brutais com sangue no asfalto, não. Sofremos violências diárias que já se incorporaram à nossa aceitação e não nos damos conta: 

São cirurgias desnecessárias para colocação de próteses e stents por médicos mafiosos; são as violências das regulações do sistema de saúde que geram mortes; é violência o desrespeito que essas multinacionais de energia, telefonia fixa, celular perpetraram contra os consumidores brasileiros, sem que nada, ou muito pouco seja feito, pois os apenamentos judiciários são insignificantes; é a violência dos senhores do poder e seus escândalos de corrupção, sem falar nos que deliberam, determinam e o povo vai sofrendo as suas consequências. 

Se para toda ação existe uma reação, que toda a nossa reação seja de ética, de moralidade, de paz, em exemplo e contraponto a tudo isso que está aí. Assim, nada de omissão, acomodação e, pior, entrar no jogo, na lei de Murici. Tomemos cuidado para não irmos para a mesma vala.

 

José Medrado
Mestre em Família pela UCSal e fundador da Cidade da Luz

Pre | Desktop e Tablet
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Grupo de Assistência
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Centro de Cultura e Arte Pai João
Colabore
Oficina de costura Romana Medrado
Caravana Fraterna
Next | Desktop e Tablet
Pre | Smartphone
Colabore
Centro de Cultura e Arte Pai João
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Caravana Fraterna
Grupo de Assistência
Oficina de costura Romana Medrado
Next | Smartphone
Rua Barreto Pedroso, 295 • Ptuaçu • Salvador • BA • CEP: 41.741-030 • Brasil
Telefone: +55 71 3363.5538
E-mail: cidadedaluz@cidadedaluz.com.br
2016 - 2021. Cidade da Luz. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital