Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para obter mais informações, consulte o nosso política de privacidade e nossa política de cookies. E para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Opções. Ao clicar em Aceito, você consente com a utilização de cookies.

Aceito Opções

Definições

Queremos ser transparentes sobre os dados que nós e os nossos parceiros coletamos e como os utilizamos, para que você possa controlar melhor os seus dados pessoais. Para obter mais informações, consulte a nossa política de privacidade e nossa politíca de cookies.

O que são cookies?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site.

Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem a funcionalidade central, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Estes cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Gerenciar preferências de consentimento

Utilizamos softwares analíticos de terceiros para coletar informações estatísticas sobre os visitantes do nosso site. Esses plugins podem compartilhar o conteúdo que você fornece para terceiros. Recomendamos que você leia as políticas de privacidade deles.

Bloquear / Ativar
Google Analytics
Necessário

São aqueles que permitem a você navegar pelo site e usar recursos essenciais, como áreas seguras, por exemplo. Esses cookies não guardam quaisquer informações sobre você que possam ser usadas em ações de comunicação de produto ou serviço ou para lembrar as páginas navegadas no site.

Bloquear / Ativar
Site
Necessário

Artigos

08h00

Não tinha que ser

O país está enxugando as lágrimas pelas perdas de dezenas de vidas com a queda do avião da empresa boliviana Lamia. Toda morte inesperada tende a gerar grande comoção, principalmente quando de jovens desenhando sucesso profissional. Em verdade, a morte por si só já gera inquietude e desconforto, pela crença de muitos na finitude, na interrupção da vida de ralação. Nesse momento, a fim de atenuar a avassaladora perda, muitos tentam encontrar respostas, consolo, não raro nas religiões, a fim de, na impossibilidade de exclusão da dor, pelo menos mitigá-la.

Nessas ocasiões, geralmente o espiritismo é buscado para respostas ou mesmo como um ombro, em palavra de consolação. Aprendi, no entanto, que poderemos consolar, mas sem perder o foco da realidade, na compreensão do fato, sem deixar de lado o apoio, a solidariedade. 

Nessa tragédia em desolação nacional, pessoalmente não concebo como algo que “deveria acontecer”. “Foi um carma coletivo”. Não. Entendo que no manejo do livre-arbítrio, o homem age de forma absolutamente livre diante das Leis Divinas, assumindo, no entanto, as suas consequências. Não vejo um Deus ou mesmo Suas Leis buscando pessoas para serem irresponsáveis e com seus atos e/ou omissões fazerem cumprir, por exemplo, um carma.

Aprendi que, só por estarmos nesta vida, estamos à mercê, também, dos que nos rodeiam para o bem ou para o mal, a isto é que falamos que não há o acaso, mas há sim as deliberações de motu próprio, de inconsequentes, criminosos e/ou mesmo gananciosos. As mortes trágicas que o Brasil até hoje chora não tinham que ter acontecido, mas, conforme as investigações dizem até agora, foi a decisão de um homem, em não abastecer a sua aeronave adequadamente, que entrou em emergência e, mesmo com a chance de dizer o que estava acontecendo, calou-se, com possível receio de ser apenado em alta multa, ou mesmo com a possibilidade de ter a sua empresa embargada. Não me parece, então, crível que a vida tivesse programado alguém para que tal atitude tivesse, que se tornasse algoz de dezenas de pessoas. 

Mas ainda surge a questão dos sobreviventes, infelizmente um número tão baixo, aí deixamos para a física, para a engenharia mecânica, que poderá dizer a repercussão do impacto de uma batida e o deslocamento de sua onda de danos para esta ou aquela direção. Os que sobreviveram não estavam em regime de privilégio, mas talvez em localização no avião que os favoreceram, e os que não embarcaram, simplesmente não embarcaram. Creio que o levar o nada acontece por acaso ao pé da letra é temerário, posto que nos vacinamos, tomamos antibióticos, combatemos o Aedes aegypti e não ficamos na confiança do que o que tiver de ser será. Ainda bem.

José Medrado

Mestre em Família pela UCSal

Fundador e Presidente da Cidade da Luz

Pre | Desktop e Tablet
Caravana Fraterna
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Colabore
Centro de Cultura e Arte Pai João
Grupo de Assistência
Oficina de costura Romana Medrado
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Next | Desktop e Tablet
Pre | Smartphone
Grupo de Assistência
Colabore
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Oficina de costura Romana Medrado
Caravana Fraterna
Centro de Cultura e Arte Pai João
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Next | Smartphone
Rua Barreto Pedroso, 295 • Ptuaçu • Salvador • BA • CEP: 41.741-030 • Brasil
Telefone: +55 71 3363.5538
E-mail: cidadedaluz@cidadedaluz.com.br
2016 - 2021. Cidade da Luz. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital