Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para obter mais informações, consulte o nosso política de privacidade e nossa política de cookies. E para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Opções. Ao clicar em Aceito, você consente com a utilização de cookies.

Aceito Opções

Definições

Queremos ser transparentes sobre os dados que nós e os nossos parceiros coletamos e como os utilizamos, para que você possa controlar melhor os seus dados pessoais. Para obter mais informações, consulte a nossa política de privacidade e nossa politíca de cookies.

O que são cookies?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site.

Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem a funcionalidade central, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Estes cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Gerenciar preferências de consentimento

Utilizamos softwares analíticos de terceiros para coletar informações estatísticas sobre os visitantes do nosso site. Esses plugins podem compartilhar o conteúdo que você fornece para terceiros. Recomendamos que você leia as políticas de privacidade deles.

Bloquear / Ativar
Google Analytics
Necessário

São aqueles que permitem a você navegar pelo site e usar recursos essenciais, como áreas seguras, por exemplo. Esses cookies não guardam quaisquer informações sobre você que possam ser usadas em ações de comunicação de produto ou serviço ou para lembrar as páginas navegadas no site.

Bloquear / Ativar
Site
Necessário

Artigos

12h53

É ofensa uma transexual como Jesus?

Proibida pela Justiça de ser exibida no espaço Cultural da Barriquinha nesta sexta-feira (27), a peça “O Evangelho Segundo Jesus, a Rainha do Céu” foi transferida para o Teatro do Goethe Institut Brasilien (ICBA), onde foi exibida. O autor do pedido de liminar alegou que a peça é “atentatória à dignidade à fé cristã/católica e [a] todos aqueles que acreditaram e respeitaram Jesus como filho do Deus criador do universo”. O juiz concedente da liminar argumenta no seu arrazoado que não se pode “eliminar os símbolos/crenças religiosos mais tradicionais do povo, com narrativas debochadas e fantasiosas, como que lhe arrancando as raízes”.

De pronto, não vi a peça. Não conheço o seu conteúdo, mas entendo que não cabe vedação de formas diferentes de se entender a mensagem de Jesus e ou a sua compreensão, simplesmente porque foge ao que primo em minha compreensão pessoal. Seria arrogância da minha parte dizer que a minha interpretação é a correta. Posso até não concordar, mas não me cabe proibir o que não se alinha à minha forma de ver o mundo e seus complexos emaranhados de conceitos e vivências.
 
De outra parte, fiquei me perguntando se a questão não era pura e simplesmente de preconceito, haja vista que a figura de Jesus estaria sendo representada por um mulher transexual. Logo, questionei-me: Por que não uma transexual interpretar Jesus? Quer dizer que há uma estratificação, qualificação de gênero humano superior, inferior e ou intermediário? Só homem poderia sê-lo. 

Veio-me à lembrança um livro que li faz muito tempo: Em seus passos o que faria Jesus? De Charles Sheldon. Fala sobre um pastor que se defronta com os seus equivocados conceitos de ser cristão e qual deveria ser a sua atuação como líder de uma igreja. Assim, quando há essas “defesas” estranhas dos conceituados por alguns como “dignidade da fé cristã”, lembro do livro e questiono a mim mesmo: O que faria Jesus em meu lugar? Considerando que a todos ele acolhia, respeitava, salvo, claro, aos que Ele, segundo Mateus, 23: “Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Sois como sepulcros caiados: por fora parecem belos, mas por dentro estão cheios de ossos de cadáveres e de toda podridão! Assim também vós: por fora, pareceis justos diante dos outros, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e injustiça.“. Palavras de Jesus, que entendo devem nos nortear.

Entendo que Jesus não geraria castas de superiores, porque via todos da mesma forma. A transexual é um ser humano como qualquer outro. Por outro lado, não sei se ela, a atriz, atacou símbolos cristãos, vilipendiando-os, desqualificando-os, como, por exemplo, quebrando imagens...atacando profitentes desta ou daquela religião com ofensas e calúnias – o que não acredito que aconteça no espetáculo – aí seria desrespeitoso à minha fé cristã, estaria violando o meu direito constitucional. Assim mesmo seria discutível, pois se trata de um teatro, pressupondo que os ali presentes compraram o ingresso e sabiam do que se tratava.

Por outro lado, inclusive, se ela passasse conceitos próprios sobre os seus entendimento de quem foi, é Jesus, vejo como opinião própria e não me sentiria atingido por ser cristão, inclusive porque não guardo a presunção de que as pessoas vejam o mundo com a lente do meu entendimento. É a leitura dela, não estaria mistificando, por exemplo, o que prega a minha fé espírita, aí, sim, eu reagiria, sobretudo se fosse em cima de situações caluniosas, como já vi diversos atentarem ao afirmar que nós evocamos o satanás. Ao que me parece, pelo colhido na imprensa, o mote é o velho e sempre presente desastroso preconceito, criador de precedentes perigosos, pois isto sim, entendo, estimula ressentimentos, intolerância, ódio e me remete ao jornal Charlie Hebdo, onde em 2015 um grupo que se dizia seguidor do islã, por conta de publicação de charges do profeta Maomé,  atacou o jornal e deixou 12 mortos, 11 feridos, em Paris.
 

* José Medrado é líder espírita, fundador da Cidade da Luz, palestrante espírita e mestre em Família pela UCSal.

 

Pre | Desktop e Tablet
Caravana Fraterna
Grupo de Assistência
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Colabore
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Centro de Cultura e Arte Pai João
Oficina de costura Romana Medrado
Next | Desktop e Tablet
Pre | Smartphone
Grupo de Assistência
Centro de Cultura e Arte Pai João
Colabore
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Oficina de costura Romana Medrado
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Caravana Fraterna
Next | Smartphone
Rua Barreto Pedroso, 295 • Ptuaçu • Salvador • BA • CEP: 41.741-030 • Brasil
Telefone: +55 71 3363.5538
E-mail: cidadedaluz@cidadedaluz.com.br
2016 - 2021. Cidade da Luz. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital