Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para obter mais informações, consulte o nosso política de privacidade e nossa política de cookies. E para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Opções. Ao clicar em Aceito, você consente com a utilização de cookies.

Aceito Opções

Definições

Queremos ser transparentes sobre os dados que nós e os nossos parceiros coletamos e como os utilizamos, para que você possa controlar melhor os seus dados pessoais. Para obter mais informações, consulte a nossa política de privacidade e nossa politíca de cookies.

O que são cookies?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site.

Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem a funcionalidade central, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Estes cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Gerenciar preferências de consentimento

Utilizamos softwares analíticos de terceiros para coletar informações estatísticas sobre os visitantes do nosso site. Esses plugins podem compartilhar o conteúdo que você fornece para terceiros. Recomendamos que você leia as políticas de privacidade deles.

Bloquear / Ativar
Google Analytics
Necessário

São aqueles que permitem a você navegar pelo site e usar recursos essenciais, como áreas seguras, por exemplo. Esses cookies não guardam quaisquer informações sobre você que possam ser usadas em ações de comunicação de produto ou serviço ou para lembrar as páginas navegadas no site.

Bloquear / Ativar
Site
Necessário

Artigos

08h56

Não entendi, juro

Vi uma publicação no Diário do Estado da Bahia, de 20 de abril do ano em curso, que muito me chamou a atenção, por ter achado, digamos, esquisito: a Secretaria da Justiça, Direitos Humano e Desenvolvimento Social fez uma dispensa de chamamento público, para contratar, por simples e pura escolha, a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos – SMDH, para conduzir aqui na Bahia, isto mesmo - conduzir aqui na Bahia, o programa Provita-BA, que visa garantir a integridade física de vítimas e testemunhas de crimes, bem como de seus familiares e pessoas, que estejam coagidas ou expostas a grave ameaça por colaborarem com a investigação e o processo criminal. De logo, afirme-se que esta contratação é possível, com apoio na Lei 13.019/2014. Convenhamos, no entanto, que isso significa que na Bahia não há instituição alguma com tal competência.

Poderia, ainda, dizer que a tal Sociedade Maranhense tem grande expertise na área, o que o seu site não garante, pois lá vamos ver a contratada pelo governo da Bahia, com ganho em valores de R$2.484.016,75, divulgando processo seletivo para contratação em Processo Seletivo para Equipe Técnica do PROVITA BA, isto em 7 de maio último. Ou seja, ainda vão contratar gente para o processo.

Em rápida pesquisa pela Internet, verifiquei que aqui na Bahia houve parceria com a ATTR, Associação de Advogados de Trabalhadores Rurais e pelo IBCM – Instituto Beneficente Conceição Macedo, que realiza lindo trabalho com criança portadora de HIV-aidis, onde em julho de 2017, no portal Saúde no Ar, li entrevista do Padre Alfredo Dórea, gerente da Instituição, noticiando que executa o Provita, no estado da Bahia, ipsis litteris, afirma Alfredo: “a equipe é composta por advogados, assistentes sociais, psicólogos, educadores e outros profissionais ligados à Secretaria de Cidadania e Justiça da Bahia, que se dispõe a assegurar a proteção integral de pessoas ameaçadas e seus familiares”. Prossegue o registro no site citado: “As experiências do projeto são exitosas. Segundo balanço do padre, “Vários núcleos familiares se recompõem após a intervenção do Provita. “ O nosso núcleo de apoio entende que pessoas, por exemplo as pessoalmente vitimadas, podem enfrentar seus ameaçadores, pois tem a confiança de receber o devido apoio do Estado”. Aí foi que não entendi realmente nada, tendo o Estado da Bahia uma instituição como IBCM, que já realizou tal mister, por que se buscar instituição tão longe que faça? Não entendi mesmo. Ainda que o IBCM tivesse alguma dificuldade, penso que caberia fazer uma rede de completitude aqui na Bahia e não buscar no Maranhão, em total desprestígios das nossas instituições sociais. Lamentei, profundamente, e fiquei com uma grande interrogação.
 

* José Medrado é líder espírita, fundador da Cidade da Luz, palestrante espírita e mestre em Família pela UCSal.

Pre | Desktop e Tablet
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Grupo de Assistência
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Oficina de costura Romana Medrado
Caravana Fraterna
Colabore
Centro de Cultura e Arte Pai João
Next | Desktop e Tablet
Pre | Smartphone
Centro de Cultura e Arte Pai João
Oficina de costura Romana Medrado
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Grupo de Assistência
Caravana Fraterna
Colabore
Next | Smartphone
Rua Barreto Pedroso, 295 • Ptuaçu • Salvador • BA • CEP: 41.741-030 • Brasil
Telefone: +55 71 3363.5538
E-mail: cidadedaluz@cidadedaluz.com.br
2016 - 2021. Cidade da Luz. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital