Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para obter mais informações, consulte o nosso política de privacidade e nossa política de cookies. E para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Opções. Ao clicar em Aceito, você consente com a utilização de cookies.

Aceito Opções

Definições

Queremos ser transparentes sobre os dados que nós e os nossos parceiros coletamos e como os utilizamos, para que você possa controlar melhor os seus dados pessoais. Para obter mais informações, consulte a nossa política de privacidade e nossa politíca de cookies.

O que são cookies?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site.

Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem a funcionalidade central, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Estes cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Gerenciar preferências de consentimento

Utilizamos softwares analíticos de terceiros para coletar informações estatísticas sobre os visitantes do nosso site. Esses plugins podem compartilhar o conteúdo que você fornece para terceiros. Recomendamos que você leia as políticas de privacidade deles.

Bloquear / Ativar
Google Analytics
Necessário

São aqueles que permitem a você navegar pelo site e usar recursos essenciais, como áreas seguras, por exemplo. Esses cookies não guardam quaisquer informações sobre você que possam ser usadas em ações de comunicação de produto ou serviço ou para lembrar as páginas navegadas no site.

Bloquear / Ativar
Site
Necessário

Artigos

13h44

O empenho da mentira

Estamos vivendo momentos de grandes indefinições e dúvidas quanto ao que se tem como verdade ou com quem ela está, no seu relativismo real. Surgem a todo instante considerações contra A, B, C que nos conduzem a dúvidas e desconfianças, pois  tudo nos parece como verdade, muitas vezes com tanta honestidade, que nos transformamos em pêndulos de afirmações e convicções para um lado e outro. Isso porque, e infelizmente, o conceito de honestidade anda tão deturpado, e no vale tudo para as conquistas dos interesses inconfessáveis é a aparência  que vale: manipulação, falácias (concepção do filósofo Aristóteles onde afirma que qualquer enunciado ou raciocínio falso pode trazer, simular verdades), inclusive porque a nossa sociedade tem estimulado este comportamento, pois os que buscam agir corretamente são chamados de bobos e até ridicularizados por agirem com ética. 

A honestidade que significa qualidade de ser verdadeiro, de não mentir, não enganar, não fraudar está desprezada, pois deveria gerar nas pessoas compromisso com a honra, com a dignidade, mas tem sido usada para “ajustar” princípios, escamotear o certo, pois cada um busca dizer a sua verdade de uma forma muito própria e  trazendo para os seus interesses, não raros, inconfessáveis.

A honestidade, também, pode ser lida e vivida como obediência, sem manipulação, às regras de comportamento moral e ético. São atitudes que se constroem sobre valores, referências firmadas na tradição do comportamento sem enganações e ou mentiras. É certo também, reconhecem sociólogos e antropólogos, que o exercício da plena e verdadeira honestidade nos parece muito difícil nesses dias, pois, estamos vivendo uma época de mentiras e engodos, que nascem pelas redes sociais e saem permeando toda a estratificação da sociedade, desembocando na manipulação por autoridades, políticos no mesclar o que é de fato verdades com o que lhes interessa divulgar e assim vamos ao sabor destes ventos de engodos, mentiras e vontade de nos mantermos como massa de manobra.

Nem tudo, porém, está perdido. Pesquisa realizada por universidades dos EUA e da Suíça, publicada pela revista Science,  que distribuiu 17.303 carteiras em 355 cidades em 40 países –com ou sem dinheiro. O objetivo? Medir a honestidade cívica das pessoas. O resultado elegeu a Suíça como o país mais honesto e a China, o mais desonesto. O Brasil ficou em 26º lugar. Na frente dos brasileiros  estão a Argentina (18º), Portugal (20º), EUA (21º), Reino Unido (22º) e Chile (25º). Mesmo sendo pesquisados apenas 4 dezenas de países, o Brasil respira uma certa esperança. É preciso, no entanto, que não continuemos cultivando a ideia de que se não levarmos vantagens outros levarão. Façamos a nossa educação

*José Medrado é líder espírita, fundador da Cidade da Luz, palestrante espírita e mestre em Família pela UCSal. Escreve para o BNews às segundas-feiras.

Pre | Desktop e Tablet
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Oficina de costura Romana Medrado
Grupo de Assistência
Colabore
Caravana Fraterna
Centro de Cultura e Arte Pai João
Next | Desktop e Tablet
Pre | Smartphone
Caravana Fraterna
Grupo de Assistência
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Colabore
Oficina de costura Romana Medrado
Centro de Cultura e Arte Pai João
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Next | Smartphone
Rua Barreto Pedroso, 295 • Ptuaçu • Salvador • BA • CEP: 41.741-030 • Brasil
Telefone: +55 71 3363.5538
E-mail: cidadedaluz@cidadedaluz.com.br
2016 - 2021. Cidade da Luz. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital