Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para obter mais informações, consulte o nosso política de privacidade e nossa política de cookies. E para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Opções. Ao clicar em Aceito, você consente com a utilização de cookies.

Aceito Opções

Definições

Queremos ser transparentes sobre os dados que nós e os nossos parceiros coletamos e como os utilizamos, para que você possa controlar melhor os seus dados pessoais. Para obter mais informações, consulte a nossa política de privacidade e nossa politíca de cookies.

O que são cookies?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site.

Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem a funcionalidade central, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Estes cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Gerenciar preferências de consentimento

Utilizamos softwares analíticos de terceiros para coletar informações estatísticas sobre os visitantes do nosso site. Esses plugins podem compartilhar o conteúdo que você fornece para terceiros. Recomendamos que você leia as políticas de privacidade deles.

Bloquear / Ativar
Google Analytics
Necessário

São aqueles que permitem a você navegar pelo site e usar recursos essenciais, como áreas seguras, por exemplo. Esses cookies não guardam quaisquer informações sobre você que possam ser usadas em ações de comunicação de produto ou serviço ou para lembrar as páginas navegadas no site.

Bloquear / Ativar
Site
Necessário

Artigos

10h00

Teria sido deboche?

A ANVISA interferiu na partida entre Brasil e Argentina, após identificar que quatro jogadores argentinos descumpriram regulamento sanitário ao entrar no Brasil. A partida acabou sendo suspensa. O diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, disse neste domingo (5) que a agência cumpriu seu papel. O que foi bem cumprido. Não é justa a crítica de que poderia agir antes do jogo. Foi feito, mas desconsideraram, há ata de reunião com representantes das partes interessadas no sábado. Se não foi deboche dos argentinos com o Brasil, alguém se arvorou a autorizar burlando os protocolos sanitários. É preciso saber quem. Ademais, já se fala em possível fraude nas informações postadas em documento de acesso ao Brasil, no aeroporto.

Parece-me que aqui e alhures muitos estão entendendo a democracia como uma espécie de “eu posso tudo e faço o que quero”, pois tenho liberdade. Não é assim. Leis, regulamentos são para serem cumpridos, caso contrário se torna anarquia e caos. Se cada um entendesse à sua moda, à sua interpretação do que de fato seja um Estado democrático de direito, imagino a barbárie que seria, pois a menor contrariedade ou não aceitação do legal bastaria para conflitos e mais violência. O relatório de satisfação global com a democracia de 2020, elaborado e divulgado pelo Instituto Bennett de Políticas Públicas da Universidade de Cambridge publicou quais foram os países que mais caíram no índice de democracia. Hoje, por incrível que pareça e infelizmente, 92 países têm regimes autoritários, contra 87 democráticos, sendo que os cinco mais autoritários são Eritreia, Coreia do Norte, Arábia Saudita, Iêmen e Síria. Os que apareceram como mais democráticos foram Dinamarca, Estônia, Suécia, Suíça e Noruega. O Brasil foi o quinto país que mais caiu no ranking na última década.

Esse levantamento buscou avaliar itens como liberdade de expressão e de imprensa. É aqui onde percebemos o começo de processos de desrespeitos, como o dos jogadores argentinos. Ao que parece eles imaginaram que nada aconteceria, em uma inferência, talvez, de que no Brasil normas e leis são para serem burladas, ou interpretadas ao sabor do “cliente”. 

Infelizmente, não se ouve, mas a tal cultura brasileira, a da Lei de Gérson, cujo o princípio estabelece que determinada pessoa ou empresa obtém vantagens de forma indiscriminada, sem se importar com questões éticas, morais ou mesmo legais, está presente e subliminar no imaginário brasileiro e de quem se relaciona conosco, claro, como em tudo do ser humano, em sua generalidade. Parece-nos estruturada como uma espécie de aura brasileira, que os estrangeiros sabem e questionam. Muitos já me perguntaram fora do Brasil sobre “essa história de leis que pegam e outras não”, por aqui. Infelizmente estamos vendo que normas, diretrizes, principalmente, neste momento, as sanitárias, que lamentavelmente se tornam questão de demarcação, posicionamento político, vêm sendo por muitos postas de lado. Não tenho dúvidas que nossos “hermanos” têm este conhecimento. Parabéns a Anvisa e ao Ministério da Saúde que ratificou a posição da agência sanitária brasileira. 

José Medrado Mestre em família pela Ucsal e fundador da Cidade da Luz

Pre | Desktop e Tablet
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Caravana Fraterna
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Centro de Cultura e Arte Pai João
Oficina de costura Romana Medrado
Grupo de Assistência
Colabore
Next | Desktop e Tablet
Pre | Smartphone
Oficina de costura Romana Medrado
Grupo de Assistência
Caravana Fraterna
Colabore
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Centro de Cultura e Arte Pai João
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Next | Smartphone
Rua Barreto Pedroso, 295 • Ptuaçu • Salvador • BA • CEP: 41.741-030 • Brasil
Telefone: +55 71 3363.5538
E-mail: cidadedaluz@cidadedaluz.com.br
2016 - 2021. Cidade da Luz. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital