Artigos

09h00

Não é possível...

É sabido e sempre relembrado que o brasileiro não é um povo que preserva, que busca conhecer a sua história, em processo de conexão do ontem com o hoje, em explicação dos movimentos da sociedade. Infelizmente, por falta de interesses dos entes Público, principalmente após a promulgação do decreto do presidente da República, de 11 de abril de 2019, que extinguiu os colegiados da administração pública previstos em lei, a 20ª Vara Federal do Rio de Janeiro precisou deferir, em 13 de outubro, tutela de urgência em Ação Civil Pública, movida pela Defensoria Pública da União e pelo Ministério Público Federal, para que a União e o Iphan cumpram as obrigações assumidas pelo Estado brasileiro junto à Unesco em julho de 2017, quando o Cais do Valongo foi incluído na lista de patrimônio cultural mundial. As obrigações dizem respeito à conservação, promoção e valorização do sítio arqueológico, localizado na zona portuária do Rio de Janeiro. 

O Cais do Valongo, o maior porto dos horrores escravagistas da história –, no Rio de Janeiro, está abandonado e corre o risco de perder o título. Essa é a avaliação de organizações da sociedade civil e de especialistas. É importante lembrar que o Cais do Valongo não foi só um porto negreiro hediondo. Era também local onde os escravos se recuperavam fisicamente para posteriormente serem vendidos como mão de obra nos mercados. Ele era denominado de complexo porque não incluía somente o Cais de Desembarque, mas também:

–O Lazareto: Hospital de quarentena para recuperação dos recém chegados doentes; 
–Casas de Engorda: Local onde eram alimentados para engordarem e serem vendidos,
–Armazéns de venda: Local onde eram vendidos,
–Cemitérios dos Pretos Novos: Fossas comuns onde eram jogados os africanos que chegavam sem vida após a desgastante rota marítima ao Brasil. Não tinham direito a cerimônia.

O Cais do Valongo construído em 1811 foi coberto, em 1843, pelo Cais da Imperatriz, construído para a recepção de Teresa Cristina, mulher do imperador dom Pedro II. No processo de urbanização da cidade, recebeu outras camadas de soterramento da história até que, em 2011, foi localizado por escavações arqueológicas. Elevado a patrimônio mundial da Unesco em 2017, o monumento, considerado o mais importante vestígio do tráfico negreiro em todo o continente americano, parece que novamente querem torná-lo esquecido, desaparecerem com ele. 
É história de nosso povo e dos horrores que se cometeu contra humanos escravizados. Por Volongo desembarcaram cerca de um milhão de africanos que eram tidos como mercadoria para consumo. 

José Medrado Mestre em família pela Ucsal e fundador da Cidade da Luz

 

Pre | Desktop e Tablet
Caravana Fraterna
Colabore
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Centro de Cultura e Arte Pai João
Grupo de Assistência
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Oficina de costura Romana Medrado
Next | Desktop e Tablet
Pre | Smartphone
Colabore
Centro de Cultura e Arte Pai João
Grupo de Assistência
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Caravana Fraterna
Oficina de costura Romana Medrado
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Next | Smartphone
Rua Barreto Pedroso, 295 • Ptuaçu • Salvador • BA • CEP: 41.741-030 • Brasil
Telefone: +55 71 3363.5538
E-mail: cidadedaluz@cidadedaluz.com.br
2016 - 2021. Cidade da Luz. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para obter mais informações, consulte o nosso política de privacidade e nossa política de cookies. E para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Opções. Ao clicar em Aceito, você consente com a utilização de cookies.

Aceito Opções

Definições

Queremos ser transparentes sobre os dados que nós e os nossos parceiros coletamos e como os utilizamos, para que você possa controlar melhor os seus dados pessoais. Para obter mais informações, consulte a nossa política de privacidade e nossa politíca de cookies.

O que são cookies?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site.

Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem a funcionalidade central, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Estes cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Gerenciar preferências de consentimento

Utilizamos softwares analíticos de terceiros para coletar informações estatísticas sobre os visitantes do nosso site. Esses plugins podem compartilhar o conteúdo que você fornece para terceiros. Recomendamos que você leia as políticas de privacidade deles.

Bloquear / Ativar
Google Analytics
Necessário

São aqueles que permitem a você navegar pelo site e usar recursos essenciais, como áreas seguras, por exemplo. Esses cookies não guardam quaisquer informações sobre você que possam ser usadas em ações de comunicação de produto ou serviço ou para lembrar as páginas navegadas no site.

Bloquear / Ativar
Site
Necessário