Artigos

14h00

O simbolismo de 2022

Chegou ele, já está aí: 2022. Ano de forte simbolismo. Bicentenário da Independência do Brasil – ainda que ela só aconteceu mesmo em 1823, quando os baianos botaram de fato e de direito os lusitanos para correrem. Temos também o centenário da Semana de Arte Moderna, que, em 1922, São Paulo foi o palco brasileiro de uma grande transformação cultural. Naquele ano, aconteceu de 11 a 18 de fevereiro, no Teatro Municipal, a renovação do contexto artístico cultural brasileiros, pois se buscou redesenhar a produção artística do Brasil nos campos da literatura, das artes plásticas, da música e da arquitetura. Durante aquela semana, a nova linguagem marcou a construção de uma liberdade criadora, mas o cenário não era propício à transformação. Em meio à República Velha, o conservadorismo estava habituado aos modelos estéticos europeus mais arcaicos, e o movimento era marcado por ideias inovadoras, que aboliam a perfeição estética apreciada no século XIX. O tempo, no entanto, consagrou essa liberdade. Há os que não aprendem com a História. Conservar só como marcos históricos, pois tentar retroceder em costumes, nas manifestações já superadas...não acontece mesmo. A sociedade avança e se renova em suas crenças, ainda que aqui e ali algo emperre, dê alguns passos atrás, mas logo são tragados e avança.

O Brasil tem sofrido demasiado nessa área: há pouco um em discurso emproado, parafraseando o propagandista nazista; depois surge uma a que foi sem nunca ter ido e ainda aqui um ligado a esta pasta falou da música, como objetivo de um ideal divino...em tentativa de desconstruir o festival do Capão. As artes, como forma de manifestação de culturas, sempre estarão antenadas com os bafejos do mundo, da sociedade e da suas culturas como tradições e história. Nunca serão produtos de imposição de poucos. O Impressionismo, por exemplo, guarda este nome, por força da ridicularização naquela época de uma arte pictórica que quebrava os padrões dos estúdios da luz artificial. O movimento foi criticado, ridicularizado... Claro que o nome surgiu de uma obra de Claude Monet - impressão do Sol nascente, mas foi adotado pelos críticos conservadores da época com o objetivo de desconstruir, debochar. Afirmavam que “aquilo” não era uma pintura, mas um esboço, uma impressão de. E hoje como estão esses arautos e suas obras pelo mundo?

Entre os artistas modernistas destacam-se Oswald de Andrade, na literatura, Víctor Brecheret, na escultura, e Anita Malfatti, na pintura, esta última responsável pela primeira exposição modernista brasileira, em 1917. Suas obras, influenciadas pelo cubismo, expressionismo e futurismo, escandalizaram a sociedade da época. Mas aí estão valorizadas e sendo referências de conquista de liberdade.

Pre | Desktop e Tablet
Caravana Fraterna
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Colabore
Oficina de costura Romana Medrado
Grupo de Assistência
Centro de Cultura e Arte Pai João
Next | Desktop e Tablet
Pre | Smartphone
Centro de Cultura e Arte Pai João
Oficina de costura Romana Medrado
Grupo de Assistência
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Colabore
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Caravana Fraterna
Next | Smartphone
Rua Barreto Pedroso, 295 • Ptuaçu • Salvador • BA • CEP: 41.741-030 • Brasil
Telefone: +55 71 3363.5538
E-mail: cidadedaluz@cidadedaluz.com.br
2016 - 2022. Cidade da Luz. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para obter mais informações, consulte o nosso política de privacidade e nossa política de cookies. E para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Opções. Ao clicar em Aceito, você consente com a utilização de cookies.

Aceito Opções

Definições

Queremos ser transparentes sobre os dados que nós e os nossos parceiros coletamos e como os utilizamos, para que você possa controlar melhor os seus dados pessoais. Para obter mais informações, consulte a nossa política de privacidade e nossa politíca de cookies.

O que são cookies?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site.

Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem a funcionalidade central, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Estes cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Gerenciar preferências de consentimento

Utilizamos softwares analíticos de terceiros para coletar informações estatísticas sobre os visitantes do nosso site. Esses plugins podem compartilhar o conteúdo que você fornece para terceiros. Recomendamos que você leia as políticas de privacidade deles.

Bloquear / Ativar
Google Analytics
Necessário

São aqueles que permitem a você navegar pelo site e usar recursos essenciais, como áreas seguras, por exemplo. Esses cookies não guardam quaisquer informações sobre você que possam ser usadas em ações de comunicação de produto ou serviço ou para lembrar as páginas navegadas no site.

Bloquear / Ativar
Site
Necessário