Artigos

15h00

Tortura de Estado

É certo que o atual Estado brasileiro está tentando modificar a real história do tenebroso período da ditadura militar, porém esta tal “narrativa” não tem conseguido silenciar, ocultar, “reescrever” a produção permanente de ratificação dos macabros fatos ocorridos nos porões ditatoriais. Em verdade, o que se estabeleceu foi muito mais trágico que torturas pontuais perpetradas por psicopatas, mas, sim, um terrorismo de Estado que foi quase institucionalizado de 1964 a 1985. Na década de 80, durante o processo de abertura, muitos estudiosos do comportamento humano tentaram explicar que o comportamento daqueles que participaram torturando tinham problemas psicopatológicos. Hoje, no entanto, tais explicações são rechaçadas e já se coloca que, em verdade, o Estado estimulou, favoreceu tais modus operandi, com leniência e impunidade dos agentes torturadores. Isso aconteceu com o surgimento do AI-5, com a vitória dos militares da chamada linha dura, que ficou conhecida como o golpe dentro do golpe, instituindo o terrorismo de Estado. Foi aí que se formou o governo Medici (1969-1974), período em que mais se torturou em nosso país. Segundo os 12 volumes do Projeto Brasil: Nunca Mais, coordenado pela Arquidiocese de São Paulo, uma das radiografias mais completas do período ditatorial no Brasil – trata-se da microfilmagem de todos os processos contra presos políticos que se encontram no Superior Tribunal Militar, de 1964 a 1978 – 1.843 pessoas denunciaram, em Auditorias Militares, as torturas sofridas. Três volumes, intitulados “As Torturas” (1985) – num total de 2.847 páginas – descrevem de forma assustadora os tipos de suplícios a que esses opositores políticos foram submetidos, assim como os locais e os nomes de alguns de seus algozes, noticia a professora Cecília Coimbra

O pior ainda é que historiadores desse período afirmam que o Brasil exportou o terror e a morte para várias outras ditaduras latino-americanas, através de técnicas de tortura e de interrogatório, da formação de torturadores e da figura do desaparecido político. Infelizmente, por outro lado, o Brasil ainda está nessa trincheira de luta contra a impunidade, diante dos senhores de mando e de contumaz violação de direitos humanos das minorias vulneráveis. Estabeleceu-se no nosso País uma normalização geral, onde o que se vê é uma tentativa de com as chamadas “narrativas”, buscar ressignificar valores estruturados no que de fato seja democracia. Estabelece-se um simplório “é comunista”, para alcunhar a todos que defendem valores de humanidade, que não guardam, em si, coloração de matiz algum. O Brasil precisa esvaziar essas dores, deixando vir à lume o que de fato já se sabe.

José Medrado Mestre em família pela Ucsal e fundador da Cidade da Luz medrado@cidadadaluz.com.br

Pre | Desktop e Tablet
Centro de Cultura e Arte Pai João
Colabore
Grupo de Assistência
Caravana Fraterna
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Oficina de costura Romana Medrado
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Next | Desktop e Tablet
Pre | Smartphone
Grupo de orientação maternal Irmã Maria Angélica
Oficina de costura Romana Medrado
Grupo de Assistência
Projeto viver Pituaçu na Cidade da Luz
Caravana Fraterna
Colabore
Centro de Cultura e Arte Pai João
Next | Smartphone
Rua Barreto Pedroso, 295 • Ptuaçu • Salvador • BA • CEP: 41.741-030 • Brasil
Telefone: +55 71 3363.5538
E-mail: cidadedaluz@cidadedaluz.com.br
2016 - 2022. Cidade da Luz. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para obter mais informações, consulte o nosso política de privacidade e nossa política de cookies. E para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Opções. Ao clicar em Aceito, você consente com a utilização de cookies.

Aceito Opções

Definições

Queremos ser transparentes sobre os dados que nós e os nossos parceiros coletamos e como os utilizamos, para que você possa controlar melhor os seus dados pessoais. Para obter mais informações, consulte a nossa política de privacidade e nossa politíca de cookies.

O que são cookies?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site.

Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem a funcionalidade central, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Estes cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Gerenciar preferências de consentimento

Utilizamos softwares analíticos de terceiros para coletar informações estatísticas sobre os visitantes do nosso site. Esses plugins podem compartilhar o conteúdo que você fornece para terceiros. Recomendamos que você leia as políticas de privacidade deles.

Bloquear / Ativar
Google Analytics
Necessário

São aqueles que permitem a você navegar pelo site e usar recursos essenciais, como áreas seguras, por exemplo. Esses cookies não guardam quaisquer informações sobre você que possam ser usadas em ações de comunicação de produto ou serviço ou para lembrar as páginas navegadas no site.

Bloquear / Ativar
Site
Necessário